Tudo tem um Propósito e com ele um Sentido para Vida

Em tudo há um propósito, então, de repente, passamos boa parte da vida sem percebe-lo e assim de buscar o verdadeiro sentido para a vida.

Se pararmos para observar o nosso dia a dia vemos que estamos inseridos em referências de valores, crenças e convicções que trouxemos de dentro de nosso sistema familiar, ainda quando crianças.

Temos uma tendência a olhar para a vida, assim como nossa família de origem olha, então, desde cedo, aprendemos essas referências e assim passamos aos nossos filhos também.

Construímos nossa Inteligência Emocional e através do que vivenciamos em nossa infância permitimos ou não a capacidade para caminhar adiante.

Ou seja, hoje lido com os fatos externos de acordo com que eu trouxe desse meu sistema.

Assim, se minha família de origem não obedeceu a uma hierarquia, em que não houve respeito com as pessoas que vieram antes delas e com que elas aprenderam da vida, então dificilmente saberei obedecer às normas, regras e ordens de meus superiores.

Se dentro de meu sistema familiar cada pessoa não conseguir exercer seu lugar e função, como, um pai experimentando mostrar como crescer para a vida ao seu filho;  a mãe, experimentando como acolher, quando é preciso, ao filho, e os filhos caminharem dentro do limite de sua função, dificilmente encontrarei meu lugar dentro de minha nova família ou dentro de uma organização.

E, se em meu sistema eu não tenha vivenciado um equilíbrio entre os indivíduos, quando via em diversas vezes, pessoas dando muito, ficando sobrecarregadas, e outras, dando tão pouco, que ficam sem forças para seguir adiante qualquer projeto, dificilmente saberei trocar com meu parceiro, ou colega de trabalho, em equilíbrio, com isso, posso me sentir sobrecarregado ou ocioso.

Então, buscar nosso propósito, e consequentemente, nosso sentido para vida, é estar conectado ao servir à vida, ou seja, o que eu faço que me acrescenta e faz o outro também crescer?

Não estamos mais certos ou errados que os outros, simplesmente é preciso perceber se esses valores, crenças e convicções me levam para uma vida em crescimento, pois aí sigo com que é meu.

Sigo com o que tomei de melhor de meu sistema familiar e, assim utilizo minha Inteligência Emocional para escolher, de uma forma adulta, como sentir, pensar e agir, busco referenciais saudáveis, existo e tenho um lugar nessa vida.

Hachidori – Gestão de Pessoas

Rate This Article:
Previous Article
Next Article
No comments

leave a comment